Celso Amorim

Foi Ministro das Relações Exteriores do Brasil nos governos Itamar Franco (1993-1994) e Lula da Silva (2003-2010). Foi Ministro da Defesa no primeiro governo de Dilma Rousseff (2011-2014) - é o Ministro de Relações Exteriores mais longevo da história do Brasil. Foi representante permanente junto às Nações Unidas (1995-1999). Durante este período, coordenou vários órgãos e grupos de trabalho, entre os quais três Painéis sobre a situação no Iraque. Foi Presidente do Conselho de Segurança em janeiro de 1999.  Por duas vezes chefiou a Missão Permanente do Brasil em Genebra (1991-1993 e 1999-2001), onde representou o Brasil junto aos vários organismos internacionais ligados à ONU, bem como junto ao GATT e OMC. Em Genebra foi por duas vezes Presidente da Conferência de Desarmamento. Também presidiu o Conselho de Administração da Organização Internacional do Trabalho (OIT), o Conselho de Serviços da OMC e a Comissão para a Convenção de Controle do Tabaco na Organização Mundial de Saúde (OMS). Foi também Embaixador junto ao governo do Reino Unido (2002).

Graduado pelo Instituto Rio Branco, possui estudos de pós-graduação na Academia Diplomática de Viena e na London School of Economics and Political Science (LSE). Fora da diplomacia, foi professor de Relações Internacionais e Teoria Política na Universidade de Brasília (UnB), presidente da Empresa Brasileira de Filmes (Embrafilme, 1979-1982) e Secretário Internacional do Ministério da Ciência e Tecnologia (1985-1988). Foi membro de dois Painéis de Alto Nível criados pelo Secretário-Geral das Nações Unidas: um sobre Resposta Global às Crises de Saúde (2015) e outro sobre Acesso a Medicamentos (2015-2016). Atualmente é Presidente do Conselho Executivo da UNITAID. É autor, entre outros, de Breves Narrativas Diplomáticas (Benvirá, 2013), Teerã, Ramalá e Doha (Benvirá, 2015) - publicado nos Estados Unidos em 2017 sob o título Acting Globally: Memoirs of Brazil’s Assertive Foreign Policy pela Hamilton Books - e A grande estratégia do Brasil: Discursos, artigos e entrevistas da gestão no Ministério da Defesa (2011-2014) (Unesp, 2016). Como reconhecimento de sua dedicação ao serviço público internacional, recebeu vários prêmios nacionais e estrangeiros, entre os quais a Estrela de Jerusalém, a mais alta distinção concedida pela Autoridade Palestina. Em 2010, Amorim foi nomeado entre os “maiores pensadores globais” pela revista Foreign Policy.

Cursos já ministrados com Celso Amorim


Voltar


Quem Somos Nós?Instagram
PARCERIA
RÁDIO OFICIAL
APOIO