• Informações
  • Início: 19/11/2019
  • Duração: 3 encontros
  • Dias: Terças-Feiras
  • Horário: das 20h às 22h
  • Valor: 3x de R$195,00
 

Ao Vivo | On-line

A Arte vai aos Tribunais: Direito e Arte | On-line

Falsificação, confisco e reparação, uma questão ética
com Julia Rodrigues Casella Hommes

Atenção: o curso "ao vivo| on-line" é a transmissão via internet de um curso realizado presencialmente na Casa do Saber. Certifique-se de que seja essa a sua intenção e matricule-se na turma correta. A inscrição nas turmas virtuais não possibilita o acesso às turmas presenciais e vice-versa. Você pode assistir às aulas de onde estiver no momento exato em que acontecem, ou em até um mês após sua transmissão, quantas vezes quiser e quando quiser. Após esse prazo, no entanto, o vídeo da aula sai do ar irrevogavelmente.


Os encontros apresentam, contextualizam e discutem casos paradigmáticos do mundo da arte, alguns com reverberações até os dias atuais, buscando ressaltar os aspectos éticos e jurídicos de cada questão apresentada e suas possíveis soluções.


Tema do dia no meio cultural europeu (mas não somente), as demandas de devolução de obras de arte a seus países de origens movimentam polêmicas. Seria ético manter longe de um povo obras como os frisos de mármore gregos, em exposição no British Museum, ou artefatos de civilizações africanas, quase 70 mil deles em exposição no Museu do Quai Branly, em Paris, sob a alegação de ser esse o melhor destino – senão o único – possível àquelas obras, pilhadas no mais das vezes? Responder irrefletidamente leva a outros desdobramentos: se uma obra pilhada está mais “protegida” em Paris ou Londres, por que obras também confiscadas pelos nazistas deveriam ser repatriadas, então? 


Os encontros pretendem apresentar dados jurídicos concretos, estudando casos e seus desdobramentos, com o auxílio de repertório do cinema e de conceitos de filosofia. Parece que não, mas é uma questão filosófica posta: o que se entende pelo conceito de autenticidade? A autenticidade é realmente necessária para tornar o objeto uma obra de arte? A [falta de] autenticidade impacta – ou deveria impactar – a apreciação estética do objeto? Pois é.


Julia Rodrigues Casella Hommes

Pesquisadora e advogada especializada em art law. Atualmente, trabalha com renomado inst...
  • 1
    19/11 Fakes and forgeries: obras de arte falsas e a compra e venda de obras de arte. Estudo de caso: Thwaytes v Sotheby’s [2015] EWHC 36 (Ch) envolvendo uma obra de Caravaggio, Os Trapaceiros (1594)

  • 2
    26/11 Looted Art: arte confiscada durante o Holocausto e restituição de obras de arte. Estudo de caso: República da Áustria v. Altmann, 541 U.S. 677 (2004) envolvendo o retrato de Gustav Klimt, O Retrato de Adele Bloch-Bauer (dita “A Dama Dourada”, 1907)

  • 3
    03/12 Looted Art: para outras formas de arte pilhada para além do regime nazista, por exemplo durante guerras, períodos coloniais/imperialismo, expedições durante os séculos 19 e 20, etc. Análise de como o tratamento jurídico destes dois tipos de restituição varia consideravelmente. O relatório Savoy-Sarr como epicentro de uma discussão.


    • Aguarde o carregamento ... Carregando...
Cálculos das Parcelas
1 x R$585,00
2 x R$292,50
3 x R$195,00

Quem Somos Nós?Instagram
PARCERIA
RÁDIO OFICIAL
APOIO