1920x400
1920x400
Infância em Destaque
Psicologia, Literatura e Sociedade

A concepção de infância é um conceito relativamente recente na história humana. Claudia Terra do Nascimenti et al. (2011) entendem que a preocupação com a criança se faz presente apenas a partir da modernidade, seja no Brasil, seja no restante do mundo, porém pouquíssimo explorada no campo científico. Narodowski, em sua tese de doutorado intitulada Infancia e poder: la conformación de la pedagogía moderna (1993), identifica a infância enquanto um fenômeno histórico e não meramente natural, sendo que no ocidente sua característica mais essencial se dá na relação (de obediência) estabelecida entre adultos e crianças. Desse modo, a infância, tal como é entendida hoje, inexistia antes do século XVI, época em que a vida era relativamente igual para todas as idades. Ou seja, não havia muitos estágios e os que existiam não eram tão claramente demarcados.

O presente curso propõe um avanço nas reflexões sobre a infância. Hoje, entendida como uma etapa da vida humana detentora de direitos, que deve ser protegida a todo custo, pouco nos perguntamos quais são os ensinamentos que as infâncias (pensando em seu escopo plural e diverso) têm a oferecer para o mundo adulto. Para além de uma etapa de transição da vida humana, a infância é um estágio com regras, condicionamentos e lógicas próprias, que tem a capacidade de contribuir de forma crítica, porém lúdica, com os principais conflitos que assolam as nossas sociedades. Aqui, propomos uma inversão: adultos podem e devem aprender com as crianças, e principalmente, abrir diálogo com a sua criança interior. Percorrendo as nuances e possibilidades da literatura infantil e do livro ilustrado, da psicologia do desenvolvimento e psicanálise, da sociologia da infância, bem como da história da criança e da infância, esse curso visa oferecer um amplo referencial teórico e metodológico transformados num passaporte para a infância.

R$ 679

ou em 12x de R$ 56,58

Fazer Inscrição
Infância em Destaque
Psicologia, Literatura e Sociedade

A concepção de infância é um conceito relativamente recente na história humana. Claudia Terra do Nascimenti et al. (2011) entendem que a preocupação com a criança se faz presente apenas a partir da modernidade, seja no Brasil, seja no restante do mundo, porém pouquíssimo explorada no campo científico. Narodowski, em sua tese de doutorado intitulada Infancia e poder: la conformación de la pedagogía moderna (1993), identifica a infância enquanto um fenômeno histórico e não meramente natural, sendo que no ocidente sua característica mais essencial se dá na relação (de obediência) estabelecida entre adultos e crianças. Desse modo, a infância, tal como é entendida hoje, inexistia antes do século XVI, época em que a vida era relativamente igual para todas as idades. Ou seja, não havia muitos estágios e os que existiam não eram tão claramente demarcados.

O presente curso propõe um avanço nas reflexões sobre a infância. Hoje, entendida como uma etapa da vida humana detentora de direitos, que deve ser protegida a todo custo, pouco nos perguntamos quais são os ensinamentos que as infâncias (pensando em seu escopo plural e diverso) têm a oferecer para o mundo adulto. Para além de uma etapa de transição da vida humana, a infância é um estágio com regras, condicionamentos e lógicas próprias, que tem a capacidade de contribuir de forma crítica, porém lúdica, com os principais conflitos que assolam as nossas sociedades. Aqui, propomos uma inversão: adultos podem e devem aprender com as crianças, e principalmente, abrir diálogo com a sua criança interior. Percorrendo as nuances e possibilidades da literatura infantil e do livro ilustrado, da psicologia do desenvolvimento e psicanálise, da sociologia da infância, bem como da história da criança e da infância, esse curso visa oferecer um amplo referencial teórico e metodológico transformados num passaporte para a infância.

R$ 679

ou em 12x de R$ 56,58

Fazer Inscrição
Data do Início do Curso
de 24/9 a 29/10
Dia e horário do curso
segundas, quartas e sextas-feiras
Aulas ao Vivo
Aulas ao vivo

Plano de aula

Aula 1 | Ética, cultura e diversidade nas infâncias – sexta-feira, 24 de setembro, das 20h às 21h30
com Adriana Friedman
Os essenciais das infâncias – infâncias e crianças, naturezas e culturas infantis, diversidade, multiculturalidade, autoria, protagonismo e participação infantil, adultocentrismo, educação integral.
Diversidade de infâncias: experiências individuais, culturais e universais.
Ética – respeito, privacidade, autorizações, consentimentos, devolutivas, registros, divulgação de dados e imagens, entre tantas outras.
Escuta e observação: conhecer a partir das diversas linguagens, culturas e contextos infantis.
Adequação de propostas e atividades em prol de infâncias significativas.

Aula 2 | Leitura crítica e cidadania: da primeira infância ao mundo adulto – quarta-feira, 6 de outubro, das 20h às 21h30
com Dolores Prades
Nunca foi tão urgente investir na formação de cidadãos críticos, autônomos e capazes de estar em sintonia com os desafios do seu tempo, com um olhar para a construção de um mundo melhor numa perspectiva plural. Enfrentar este desafio remete de imediato à leitura e à importância de formar leitores. Esta proposta, num primeiro passo, entende a leitura e a literatura como a porta de entrada para a possibilidade do convívio sadio entre os pares, como um direito de todas as pessoas. Um segundo passo seria o pensar a leitura desde a primeiríssima infância como garantia de entrada no mundo do livro, da leitura, da criatividade e da fabulação compartilhada o quanto antes possível. São estes pontos que serão abordardos em nosso encontro.

Aula 3 | A família e a leitura. Desfuncionalização da arte e formação do leitor – sexta-feira, 08 de outubro, das 18h às 19h30
com Patrícia Auerbach
O encontro pretende investigar o lugar do livro e da leitura no contexto familiar. O espaço físico defendido por Aidan Chambers como contexto atuante na formação de leitores e o discurso frente às práticas domésticas ligadas à leitura e às narrativas orais. A ideia de uma literatura infantil como versão adaptada ou simplificada daquela que seria a arte de fato, destinada ao público adulto, será confrontada com a complexidade do funcionamento do livro ilustrado apresentado por Sophie Van der Linden, que combina linguagem verbal e imagética para criar narrativas cheias de humor, metáforas e duplos sentidos. O lugar do livro e das histórias na família e as possibilidades de criação de vínculo, ampliação de repertório e construção de diálogos que aproximem pais e filhos em torno de personagens e enredos que ajudem a elaborar suas próprias dores e afinidades.

Partiremos da ideia apresentada por Maria Nikolayeva, de que ninguém vira leitor por uma sorte do destino e falaremos de repetição, disciplina, afeto e do valor dos encontros em torno de histórias. A intenção é pensar o processo de formação leitora de uma criança a partir do seu contexto familiar entendendo a literatura como porta de entrada fundamental para a compreensão do eu e para experiência estética. 

Aula 4 | A criança cidadã e o conceito de infância – quarta-feira, 13 de outubro, das 18h às 19h30
com Kiara Terra
Quais os conceitos constroem a ideia de infância? Quando foi criado esse conceito? Como, ao longo do tempo, esse entendimento se delimita, e qual a relevância de conhecer esses processos no momento atual? Diante da crise climática, a voz de crianças ativistas é visibilizada em instâncias de decisões globais e simultaneamente as crianças seguem sendo o grupo mais afetado pelas grandes crises, sejam elas naturais ou provocadas pelo humano. A criança como cidadão de direitos, segundo Natália Fernandes, e as dimensões sociológicas que abarcam a construção deste termo serão diretrizes para boas perguntas a respeito das infâncias que coexistem no nosso tempo.

Aula 5 | A primeira infância em Mário de Andrade: olhares de Freud e Melanie Klein – segunda-feira, 18 de outubro, das 20h às 21h30
com Belinda Mandelbaum
A partir de uma leitura do conto “Tempo de camisolinha”, de Mário de Andrade, em que o autor recorda ficcionalmente fatos marcantes de sua primeira infância, trataremos das ansiedades do menino ligadas ao crescimento, em particular em relação à separação da mãe, à castração, ao nascimento do irmão e à emergência da sexualidade. Para esta leitura, conhecimentos da psicanálise, em especial a partir de Freud e Melanie Klein, serão aproximados a temas ligados ao contexto sócio familiar do autor, como identidades de gênero, religião e desigualdades de classe.

Aula 6 | Crise migratória contemporânea e crianças migrantes: infância como afirmação de vida – quarta-feira, 20 de outubro, das 18h às 19h30
com Betina Hillesheim
A partir da problematização das estatísticas oficiais e de dados de pesquisas sobre crianças migrantes, serão discutidas questões relacionadas à vulnerabilidade nos processos migratórios, tensionando os processos de acolhida e suas articulações com as políticas públicas e a escola. Para refletir sobre as relações que se estabelecem entre aqueles que denominamos como “nós” e “eles”, utilizar-se-á o pensamento de Judith Butler no que se refere à precariedade. Além disto, buscar-se-á afirmar, apoiando-se em autores como Deleuze e Guattari, que as crianças, a partir das experiências migratórias, reinventam a infância, extraindo partículas de vida dos acontecimentos.

Aula 7 | Violência contra a criança: conceitos e classificações – sexta-feira, 29 de outubro, das 18h às 19h30
com Joselene Alvim
Violência contra crianças e adolescentes: Conceito e classificação. Fatores de risco para a violência. Impacto da violência na saúde mental sobre as crianças e adolescentes. Bullying.
 

Aula 8 | De menor à criança – sexta-feira, 29 de outubro, das 20h às 21h30
com Luciana Alves
A aula visa tratar dos impactos do Racismo na infância, passando por três dimensões: estrutural, subjetiva e individual. Especial enfoque será dado para problemas de saúde e aprendizagem decorrentes de experiências de discriminação racial.

Plano de aula

Aula 1 | Ética, cultura e diversidade nas infâncias – sexta-feira, 24 de setembro, das 20h às 21h30
com Adriana Friedman
Os essenciais das infâncias – infâncias e crianças, naturezas e culturas infantis, diversidade, multiculturalidade, autoria, protagonismo e participação infantil, adultocentrismo, educação integral.
Diversidade de infâncias: experiências individuais, culturais e universais.
Ética – respeito, privacidade, autorizações, consentimentos, devolutivas, registros, divulgação de dados e imagens, entre tantas outras.
Escuta e observação: conhecer a partir das diversas linguagens, culturas e contextos infantis.
Adequação de propostas e atividades em prol de infâncias significativas.

Aula 2 | Leitura crítica e cidadania: da primeira infância ao mundo adulto – quarta-feira, 6 de outubro, das 20h às 21h30
com Dolores Prades
Nunca foi tão urgente investir na formação de cidadãos críticos, autônomos e capazes de estar em sintonia com os desafios do seu tempo, com um olhar para a construção de um mundo melhor numa perspectiva plural. Enfrentar este desafio remete de imediato à leitura e à importância de formar leitores. Esta proposta, num primeiro passo, entende a leitura e a literatura como a porta de entrada para a possibilidade do convívio sadio entre os pares, como um direito de todas as pessoas. Um segundo passo seria o pensar a leitura desde a primeiríssima infância como garantia de entrada no mundo do livro, da leitura, da criatividade e da fabulação compartilhada o quanto antes possível. São estes pontos que serão abordardos em nosso encontro.

Aula 3 | A família e a leitura. Desfuncionalização da arte e formação do leitor – sexta-feira, 08 de outubro, das 18h às 19h30
com Patrícia Auerbach
O encontro pretende investigar o lugar do livro e da leitura no contexto familiar. O espaço físico defendido por Aidan Chambers como contexto atuante na formação de leitores e o discurso frente às práticas domésticas ligadas à leitura e às narrativas orais. A ideia de uma literatura infantil como versão adaptada ou simplificada daquela que seria a arte de fato, destinada ao público adulto, será confrontada com a complexidade do funcionamento do livro ilustrado apresentado por Sophie Van der Linden, que combina linguagem verbal e imagética para criar narrativas cheias de humor, metáforas e duplos sentidos. O lugar do livro e das histórias na família e as possibilidades de criação de vínculo, ampliação de repertório e construção de diálogos que aproximem pais e filhos em torno de personagens e enredos que ajudem a elaborar suas próprias dores e afinidades.

Partiremos da ideia apresentada por Maria Nikolayeva, de que ninguém vira leitor por uma sorte do destino e falaremos de repetição, disciplina, afeto e do valor dos encontros em torno de histórias. A intenção é pensar o processo de formação leitora de uma criança a partir do seu contexto familiar entendendo a literatura como porta de entrada fundamental para a compreensão do eu e para experiência estética. 

Aula 4 | A criança cidadã e o conceito de infância – quarta-feira, 13 de outubro, das 18h às 19h30
com Kiara Terra
Quais os conceitos constroem a ideia de infância? Quando foi criado esse conceito? Como, ao longo do tempo, esse entendimento se delimita, e qual a relevância de conhecer esses processos no momento atual? Diante da crise climática, a voz de crianças ativistas é visibilizada em instâncias de decisões globais e simultaneamente as crianças seguem sendo o grupo mais afetado pelas grandes crises, sejam elas naturais ou provocadas pelo humano. A criança como cidadão de direitos, segundo Natália Fernandes, e as dimensões sociológicas que abarcam a construção deste termo serão diretrizes para boas perguntas a respeito das infâncias que coexistem no nosso tempo.

Aula 5 | A primeira infância em Mário de Andrade: olhares de Freud e Melanie Klein – segunda-feira, 18 de outubro, das 20h às 21h30
com Belinda Mandelbaum
A partir de uma leitura do conto “Tempo de camisolinha”, de Mário de Andrade, em que o autor recorda ficcionalmente fatos marcantes de sua primeira infância, trataremos das ansiedades do menino ligadas ao crescimento, em particular em relação à separação da mãe, à castração, ao nascimento do irmão e à emergência da sexualidade. Para esta leitura, conhecimentos da psicanálise, em especial a partir de Freud e Melanie Klein, serão aproximados a temas ligados ao contexto sócio familiar do autor, como identidades de gênero, religião e desigualdades de classe.

Aula 6 | Crise migratória contemporânea e crianças migrantes: infância como afirmação de vida – quarta-feira, 20 de outubro, das 18h às 19h30
com Betina Hillesheim
A partir da problematização das estatísticas oficiais e de dados de pesquisas sobre crianças migrantes, serão discutidas questões relacionadas à vulnerabilidade nos processos migratórios, tensionando os processos de acolhida e suas articulações com as políticas públicas e a escola. Para refletir sobre as relações que se estabelecem entre aqueles que denominamos como “nós” e “eles”, utilizar-se-á o pensamento de Judith Butler no que se refere à precariedade. Além disto, buscar-se-á afirmar, apoiando-se em autores como Deleuze e Guattari, que as crianças, a partir das experiências migratórias, reinventam a infância, extraindo partículas de vida dos acontecimentos.

Aula 7 | Violência contra a criança: conceitos e classificações – sexta-feira, 29 de outubro, das 18h às 19h30
com Joselene Alvim
Violência contra crianças e adolescentes: Conceito e classificação. Fatores de risco para a violência. Impacto da violência na saúde mental sobre as crianças e adolescentes. Bullying.
 

Aula 8 | De menor à criança – sexta-feira, 29 de outubro, das 20h às 21h30
com Luciana Alves
A aula visa tratar dos impactos do Racismo na infância, passando por três dimensões: estrutural, subjetiva e individual. Especial enfoque será dado para problemas de saúde e aprendizagem decorrentes de experiências de discriminação racial.

COM QUEM VOU APRENDER?

Adriana Friedman
Ativista, formadora e pesquisadora na área da infância e do brincar, há mais de 40 anos. Pós doutoranda no Instituto de Artes da UNESP, Doutora em Antropologia pela PUCSP, Mestre em Educação pela UNICAMP e Pedagoga pela USP. Docente n’A Casa Tombada (Facon) nos cursos de pós graduação ‘A vez e a voz das crianças’ e ‘Coordenação Pedagógica’; e na Faculdade Rudolf Steiner no curso de pós graduação em ‘Psicopedagogia’. Ministra cursos livres e grupos de estudos e é palestrante e consultora junto a inúmeras ONG’s, fundações, secretarias e escolas. Desenvolve pesquisas com crianças, dentre as mais recentes: ‘A vez e a voz das crianças em 2020-2021’, ‘Mapa do Brincar’ e ‘Vozes da Infância Brasileira’. Fundou, junto com outros parceiros, a ‘Aliança pela Infância’, a ‘Comunidade Colaborativa de Aprendizagem Mapa da Infância Brasileira’ e, recentemente, o ‘Coletivo A vez e a voz das crianças’. Autora de vários livros, dentre eles “A vez e a voz das crianças”, “Linguagens e culturas infantis”, “O desenvolvimento da criança através do brincar” e “A arte de brincar”.



Belinda Mandelbaum
Psicanalista e professora associada do Departamento de Psicologia Social e do Trabalho do Instituto de Psicologia da USP, onde coordena as atividades de ensino e pesquisa do Laboratório de Estudos da Família, Relações de Gênero e Sexualidade. Autora de Psicanálise da família (Belo Horizonte: Artesã, 2019, 3a. ed.), Trabalhos com famílias em Psicologia Social (SP: Casa do Psicólogo, 2014) e Desemprego: uma abordagem psicossocial (com Marcelo Ribeiro, SP: Blucher, 2017), além de artigos em revistas nacionais e estrangeiras. Co-organizadora dos livros Família, contemporaneidade e conservadorismo (SP: Benjamin Ed., 2017) e Brazilian Psychosocial Histories of Psychoanalysis (London: Palgrave, 2021).



Betina Hillesheim
Psicóloga, Mestra em Psicologia Social e da Personalidade (PUCRS), Doutora em Psicologia (PUCRS). Professora e pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Educação e do Mestrado Profissional em Psicologia da Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC). Em 2007, sua tese de doutorado “Entre a literatura e o infantil: uma infância” recebeu o prêmio de Melhor Tese em Psicologia Social pela Associação Brasileira de Psicologia Social (ABRAPSO). Possui vários textos publicados, focando-se nos seguintes temas: políticas públicas, inclusão, migrações, território, nomadismo, infância e literatura infantil.



Dolores Prades
Fundadora, diretora e publisher da Emília. É doutora em História Econômica pela Universidade de São Paulo e especialista em literatura infantil e juvenil pela Universidade Autônoma de Barcelona; Diretora do Instituto Emília e do Laboratório Emília de Formação. Foi curadora e coordenadora dos seminários Conversas ao Pé da Página (2011 a 2015); coordenadora no Brasil da Cátedra Latinoamericana y Caribeña de Lectura y Escritura; professora convidada do Máster da Universidade Autônoma de Barcelona; curadora da FLUPP Parque (2014 e 2105). Membro do júri do Prêmio Hans Christian Andersen 2016, do Bologna Children Award 2016 e do Chen Bochui Children’s Literature Award, 2019. É consultora da Feira de Bolonha para a América Latina desde 2018 e atua na área de consultoria editorial e de temas sobre leitura e formação de leitores.



Joselene Alvim
Psicóloga e Neuropsicóloga, Mestre em Educação pela UNESP. Especialista em Neuropsicologia pelo Centro de Estudos de Neurologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo – FMUSP. Especialista em Avaliação do Ensino e Aprendizagem pela Unoeste, Especialista em Gestão de Pessoas pela Universidade do Norte do Paraná – UNOPAR. Docente da Universidade do Oeste Paulista – UNOESTE, Coordenadora do curso de especialização em Neuropsicologia- UNOESTE. Escreve semanalmente sobre comportamento para o site do G1 de Presidente Prudente- SP.



Kiara Terra
Nasceu em São Paulo quase na noite de São João e sempre gostou de inventar palavras. Cursou Arte Dramática no Célia Helena Teatro-escola e Comunicação das Artes do Corpo na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo com habilitação em Performance Arte. Atualmente mora em Portugal e é doutoranda em Sociologia da infância na universidade do Minho. Em 1998 iniciou a pesquisa do método de narrativas colaborativas a partir da escuta das perguntas do seu público. Fundou A história Aberta que integra oralidade e improvisação.



Luciana Alves
Pedagoga e mestre em educação pela Universidade de São Paulo (USP), doutoranda em educação na Univesidade de Campinas (Unicamp). Luciana é consultora para relações raciais e educação no Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades (CEERT) e Pró-reitora Adjunta de Assuntos Estudantis na Unifesp. Dedica-se a pesquisas sobre desigualdades educacionais, com especial enfoque nos temas branquitude, políticas públicas para equidade racial e infância. É autora do livro “Ser branco”, publicado pela editora Hucitec e de artigos científicos sobre relações raciais.



Patrícia Auerbach
Autora, ilustradora e formadora de professores. Nascida em São Paulo e formada em Arquitetura e Pedagogia com Máster em Literatura Infantil e Juvenil pela Universidade Autónoma de Barcelona. Atualmente Patrícia reside em Boston, nos EUA, para se dedicar ao mestrado em desenvolvimento humano, linguagem e letramento na Harvard School of Education.



Participe dos nossos cursos ao vivo

Perguntas frequentes

Todas as aulas estarão dentro de nossa plataforma online do curso chamada Nutror. No dia e horário das aulas, o professor estará ao vivo, mas tudo será gravado e ficará disponível para você assistir online na hora que quiser – basta ter acesso à internet. Assim que você se inscrever já recebe login e senha para acessar a plataforma de ensino. 

Todas as aulas ocorrerão ao vivo às segundas-feiras. A primeira aula acontece no dia 24 de setembro e, as demais, nas segundas-feiras seguintes. Não tem problema nenhum se não for possível ver alguma aula ao vivo. Todas ficarão gravadas para você ver quando quiser. 

As videoaulas poderão ser vistas e revistas quantas vezes você quiser por um período de 3 meses. 

Sim, todos os participantes que quiserem receberão o certificado. 

Você pode realizar o pagamento com boleto ou cartão de crédito. 

Sim. Basta trocar a bandeira do país onde foi emitido seu cartão na página do checkout, no alto, à direita. Se seu cartão foi emitido no Brasil, a bandeira do Brasil já estará lá. Mas se foi emitido nos EUA, por exemplo, troque pela bandeira dos EUA. 

Não. O sistema de pagamento só permite o parcelamento com cartão de crédito. Você pode parcelar em até 10 vezes sem juros.

Após a primeira aula em 24 de setembro, você tem um prazo de 7 dias para pedir reembolso do que já pagou. Caso comece a assistir o curso e entenda que ele não é adequado para você, basta enviar um e-mail para suporte@casadosaber.com.br dentro do prazo de 7 dias que providenciaremos a devolução de 100% do seu dinheiro. 

Basta enviar um e-mail para suporte@casadosaber.com.br que responderemos o mais rápido possível. 

Perguntas frequentes

Todas as aulas estarão dentro de nossa plataforma online do curso chamada Nutror. No dia e horário das aulas, o professor estará ao vivo, mas tudo será gravado e ficará disponível para você assistir online na hora que quiser – basta ter acesso à internet. Assim que você se inscrever já recebe login e senha para acessar a plataforma de ensino.

Todas as aulas ocorrerão ao vivo às segundas-feiras. A primeira aula acontece no dia 24 de setembro e, as demais, nas segundas-feiras seguintes. Não tem problema nenhum se não for possível ver alguma aula ao vivo. Todas ficarão gravadas para você ver quando quiser. 

As vídeo-aulas poderão ser vistas e revistas quantas vezes você quiser por um período de 3 meses.

Sim, todos os participantes que quiserem receberão o certificado.

Você pode realizar o pagamento com boleto ou cartão de crédito.

Sim. Basta trocar a bandeira do país onde foi emitido seu cartão na página do checkout, no alto, à direita. Se seu cartão foi emitido no Brasil, a bandeira do Brasil já estará lá. Mas se foi emitido nos EUA, por exemplo, troque pela bandeira dos EUA.

Não. O sistema de pagamento só permite o parcelamento com cartão de crédito. Você pode parcelar em até 12 vezes. Os juros incluídos no parcelamento são cobrados pela empresa que processa os pagamentos. 

Após a primeira aula em 04 de novembro, você tem um prazo de 7 dias para pedir reembolso do que já pagou. Caso comece a assistir o curso e entenda que ele não é adequado para você, basta enviar um e-mail para suporte@casadosaber.com.br dentro do prazo de 7 dias que providenciaremos a devolução de 100% do seu dinheiro. 

Basta enviar um e-mail para suporte@casadosaber.com.br que responderemos o mais rápido possível. 

Shopping Basket
PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com