MariaRita_920x400
MariaRita_920x400
Psicanálise para a Atualidade
com Maria Rita Kehl

O ressentimento é um dos principais produtos da sociedade contemporânea, da qual o individualismo e narcisismo são pilares fundamentais. Por isso, esse afeto – apesar de muitas vezes negligenciado pelos pensadores da mente – tornou-se palavra-chave para desvendar o funcionamento de nossas relações com os outros e nós mesmos. À luz de autores como Nietzsche, Espinosa e Freud, o curso apresenta as origens e o modus operandi do ressentimento como forma de compreender o mundo hoje. A psicanalista Maria Rita Kehl resgata a célebre exclamação nietzschiana “Eu sofro, alguém deve ser culpado por isso” para definir que ressentir-se significa atribuir ao outro, suposto todo-poderoso, a responsabilidade pelo que nos faz sofrer. Quais as consequências deste afeto reativo do homem contemporâneo? Qual a função desta mágoa viva, que se reitera? Por que nos rendemos voluntariamente a esse outro? Como o ressentimento afeta estados e nações? Afinal, como prega a psicanalista, o caminho para superar o ciclo do rancor passa, invariavelmente, por entendê-lo.

R$ 497

ou em 12x de R$ 41,40

Fazer Inscrição
Psicanálise para a Atualidade
com Maria Rita Kehl

O ressentimento é um dos principais produtos da sociedade contemporânea, da qual o individualismo e narcisismo são pilares fundamentais. Por isso, esse afeto – apesar de muitas vezes negligenciado pelos pensadores da mente – tornou-se palavra-chave para desvendar o funcionamento de nossas relações com os outros e nós mesmos. À luz de autores como Nietzsche, Espinosa e Freud, o curso apresenta as origens e o modus operandi do ressentimento como forma de compreender o mundo hoje. A psicanalista Maria Rita Kehl resgata a célebre exclamação nietzschiana “Eu sofro, alguém deve ser culpado por isso” para definir que ressentir-se significa atribuir ao outro, suposto todo-poderoso, a responsabilidade pelo que nos faz sofrer. Quais as consequências deste afeto reativo do homem contemporâneo? Qual a função desta mágoa viva, que se reitera? Por que nos rendemos voluntariamente a esse outro? Como o ressentimento afeta estados e nações? Afinal, como prega a psicanalista, o caminho para superar o ciclo do rancor passa, invariavelmente, por entendê-lo.

R$ 497

ou em 12x de R$ 41,40

Fazer Inscrição
Data do Início do Curso
de 13/8 a 3/9
Dia e horário do curso
sextas-feiras, das 18h às 19h30
Aulas ao Vivo
Aulas ao vivo

Plano de aula

Aula 1 | Indivíduo: o que é (res)sentir-se e por que culpamos o Outro?
O encontro introduz o conceito de ressentimento e como ele se manifesta no âmbito individual. Já que nem todo queixoso é ressentido, e nem quem realmente sofreu um agravo está livre deste sentir que retorna e se reitera, como identificar a si mesmo, ou o outro, como ressentido? Como o ressentimento difere do rancor, desejo de vingança, raiva, maldade, ciúmes e inveja? Por que é tão difícil assumir responsabilidade pela culpa, o que Freud chama de “covardia moral”?

Aula 2 | Nietzsche: o filósofo do ressentimento
Para Nietzsche, pensador da vontade de potência e da força dos homens, ressentimento não caracteriza a posição de todos os derrotados: apenas dos cúmplices de sua derrota, que se entregaram sem luta. O encontro apresenta uma “solução” pela proatividade: superar o desejo de submissão e “vingança imaginária” seria o caminho para “tornar-se quem se é” – em conversa com o que Espinosa explica sobre as “paixões tristes” (que diminuem a potência de agir do indivíduo). Segundo ele, somente uma ação oposta, das paixões alegres, podem vencê-las.

Aula 3 | Arte: o herói sem mácula que almejamos ser
O melodrama é o gênero em que o ressentimento adquire estatuto moral de paixão romântica, com personagens que sofrem porque são puros demais, autênticos demais, inocentes demais. Talvez por isso, seja o predileto do homem moderno, que deseja ser essa criatura imaculada. Na terceira aula, Maria Rita Kehl relata não só sobre obras que pacientes ressentidos apresentaram em clínica, como o filme “O Piano” (1993), como também sobre o ressentimento em clássicos dramáticos: “Ricardo III” (Shakespeare), “Crime e castigo” (Dostoiévski), “São Bernardo” (Graciliano Ramos) e “As brasas” (Sándor Márai).

Aula 4 | Nações: no país dos ressentidos
No último encontro, o conceito de ressentimento se amplia para cobrir grupos sociais e nações. O Estado moderno encoraja o desenvolvimento de populações ressentidas? O Brasil é um país de ressentidos que não se reconhece como tal? Com isso, também nasce um novo impasse: como a mágoa está ligada ao sofrimento passado, o destino da memória social torna-se incerto – assim como as consequências das políticas do ressentimento. Em conversa com o conceito de “bovarismo brasileiro”, segundo o qual teríamos a ilusão de que somos algo que não somos – como Emma Bovary –, Maria Rita Kehl descreve como nosso país influencia e deixa-se influenciar pelo ressentimento.

Plano de aula

Aula 1 | Indivíduo: o que é (res)sentir-se e por que culpamos o Outro?
O encontro introduz o conceito de ressentimento e como ele se manifesta no âmbito individual. Já que nem todo queixoso é ressentido, e nem quem realmente sofreu um agravo está livre deste sentir que retorna e se reitera, como identificar a si mesmo, ou o outro, como ressentido? Como o ressentimento difere do rancor, desejo de vingança, raiva, maldade, ciúmes e inveja? Por que é tão difícil assumir responsabilidade pela culpa, o que Freud chama de “covardia moral”?

Aula 2 | Nietzsche: o filósofo do ressentimento
Para Nietzsche, pensador da vontade de potência e da força dos homens, ressentimento não caracteriza a posição de todos os derrotados: apenas dos cúmplices de sua derrota, que se entregaram sem luta. O encontro apresenta uma “solução” pela proatividade: superar o desejo de submissão e “vingança imaginária” seria o caminho para “tornar-se quem se é” – em conversa com o que Espinosa explica sobre as “paixões tristes” (que diminuem a potência de agir do indivíduo). Segundo ele, somente uma ação oposta, das paixões alegres, podem vencê-las.

Aula 3 | Arte: o herói sem mácula que almejamos ser
O melodrama é o gênero em que o ressentimento adquire estatuto moral de paixão romântica, com personagens que sofrem porque são puros demais, autênticos demais, inocentes demais. Talvez por isso, seja o predileto do homem moderno, que deseja ser essa criatura imaculada. Na terceira aula, Maria Rita Kehl relata não só sobre obras que pacientes ressentidos apresentaram em clínica, como o filme “O Piano” (1993), como também sobre o ressentimento em clássicos dramáticos: “Ricardo III” (Shakespeare), “Crime e castigo” (Dostoiévski), “São Bernardo” (Graciliano Ramos) e “As brasas” (Sándor Márai).

Aula 4 | Nações: no país dos ressentidos
No último encontro, o conceito de ressentimento se amplia para cobrir grupos sociais e nações. O Estado moderno encoraja o desenvolvimento de populações ressentidas? O Brasil é um país de ressentidos que não se reconhece como tal? Com isso, também nasce um novo impasse: como a mágoa está ligada ao sofrimento passado, o destino da memória social torna-se incerto – assim como as consequências das políticas do ressentimento. Em conversa com o conceito de “bovarismo brasileiro”, segundo o qual teríamos a ilusão de que somos algo que não somos – como Emma Bovary –, Maria Rita Kehl descreve como nosso país influencia e deixa-se influenciar pelo ressentimento.

COM QUEM VOU APRENDER?

Maria Rita Kehl
É é doutora em psicanálise pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Atua desde 1981 como psicanalista em São Paulo, integrou a Comissão Nacional da Verdade (2012-2014), foi jornalista entre 1974 e 1981 e segue publicando artigos em diversos jornais e revistas de São Paulo e do Rio de Janeiro. Em 2010, ganhou o prêmio Jabuti de Livro do Ano de Não Ficção por “O tempo e o cão: a atualidade das depressões”. Também é autora de outras obras como: “Videologias: ensaios sobre televisão” (2004), “18 crônicas e mais algumas” (2011), “Deslocamentos do feminino” (2016), “Bovarismo brasileiro” (2018) e “Ressentimento” (2020).



Participe dos nossos cursos ao vivo

Perguntas frequentes

Todas as aulas estarão dentro de nossa plataforma online do curso chamada Nutror. No dia e horário das aulas, o professor estará ao vivo, mas tudo será gravado e ficará disponível para você assistir online na hora que quiser – basta ter acesso à internet. Assim que você se inscrever já recebe login e senha para acessar a plataforma de ensino. 

Todas as aulas ocorrerão ao vivo às sextas-feiras. A primeira aula acontece no dia 13 de agosto e, as demais, nas sextas-feiras seguintes. Não tem problema nenhum se não for possível ver alguma aula ao vivo. Todas ficarão gravadas para você ver quando quiser. 

As videoaulas poderão ser vistas e revistas quantas vezes você quiser por um período de 3 meses. 

Sim, todos os participantes que quiserem receberão o certificado. 

Você pode realizar o pagamento com boleto ou cartão de crédito. 

Sim. Basta trocar a bandeira do país onde foi emitido seu cartão na página do checkout, no alto, à direita. Se seu cartão foi emitido no Brasil, a bandeira do Brasil já estará lá. Mas se foi emitido nos EUA, por exemplo, troque pela bandeira dos EUA. 

Não. O sistema de pagamento só permite o parcelamento com cartão de crédito. Você pode parcelar em até 10 vezes sem juros.

Após a primeira aula em 13 de agosto, você tem um prazo de 7 dias para pedir reembolso do que já pagou. Caso comece a assistir o curso e entenda que ele não é adequado para você, basta enviar um e-mail para suporte@casadosaber.com.br dentro do prazo de 7 dias que providenciaremos a devolução de 100% do seu dinheiro. 

Basta enviar um e-mail para suporte@casadosaber.com.br que responderemos o mais rápido possível. 

Perguntas frequentes

Todas as aulas estarão dentro de nossa plataforma online do curso chamada Nutror. No dia e horário das aulas, o professor estará ao vivo, mas tudo será gravado e ficará disponível para você assistir online na hora que quiser – basta ter acesso à internet. Assim que você se inscrever já recebe login e senha para acessar a plataforma de ensino.

Todas as aulas ocorrerão ao vivo às sextas-feiras. A primeira aula acontece no dia 13 de agosto e, as demais, nas sextas-feiras seguintes. Não tem problema nenhum se não for possível ver alguma aula ao vivo. Todas ficarão gravadas para você ver quando quiser. 

As vídeo-aulas poderão ser vistas e revistas quantas vezes você quiser por um período de 3 meses.

Sim, todos os participantes que quiserem receberão o certificado.

Você pode realizar o pagamento com boleto ou cartão de crédito.

Sim. Basta trocar a bandeira do país onde foi emitido seu cartão na página do checkout, no alto, à direita. Se seu cartão foi emitido no Brasil, a bandeira do Brasil já estará lá. Mas se foi emitido nos EUA, por exemplo, troque pela bandeira dos EUA.

Não. O sistema de pagamento só permite o parcelamento com cartão de crédito. Você pode parcelar em até 12 vezes. Os juros incluídos no parcelamento são cobrados pela empresa que processa os pagamentos. 

Após a primeira aula em 04 de novembro, você tem um prazo de 7 dias para pedir reembolso do que já pagou. Caso comece a assistir o curso e entenda que ele não é adequado para você, basta enviar um e-mail para suporte@casadosaber.com.br dentro do prazo de 7 dias que providenciaremos a devolução de 100% do seu dinheiro. 

Basta enviar um e-mail para suporte@casadosaber.com.br que responderemos o mais rápido possível. 

Shopping Basket
PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com